Um dia antes do julgamento, CNBB defende criminalização da homofobia

Otávio Augusto | 12/06/2019 12:35:25

Julgamento sobre o tema deve ser retomado nesta quinta (13) no STF. CNBB pede criminalização, mas fala em "princípios éticos e morais"

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma a votação sobre a criminalização da homofobia nesta quinta-feira (12/06/2019). Com seis votos favoráveis para equiparação da prática ao crime de racismo, o julgamento, interrompido em maio, será retomado sob forte pressão da Igreja Católica.

Um dia antes dos ministros voltarem ao tema, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), divulgou uma carta aberta sobre o assunto. O texto, divulgado nesta quarta-feira (12/06/2019), pede “o respeito a todos, sem distinções” baseado em “princípios éticos e morais”.

No documento, a  Igreja Católica se diz “historicamente defensora incondicional da vida”e por isso “é contrária a qualquer ato de violência”. “Atentados contra a vida merecem a mais severa condenação por parte de toda a sociedade civil e, principalmente, das autoridades devidamente constituídas”, destaca o texto.

JustiçaSTF: maioria vota a favor da criminalização da homofobiaO presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, optou pela suspensão da sessão para o próximo dia 5

Jornalista: Otávio Augusto